EM CARTA À SOCIEDADE, ASNAB DEFENDE POLÍTICAS PÚBLICAS DE ABASTECIMENTO ALIMENTAR

  • por

Repost Asnab Nacional

A Associação Nacional dos Empregados da Conab (ASNAB) publicou na terça-feira (31) uma carta aberta à população brasileira para defender as políticas públicas de abastecimento alimentar.

Na carta, a entidade afirma que é urgente implementar os atuais ou novos programas sociais de abastecimento que podem ser desenvolvidos neste momento para a sociedade brasileira como a aquisição e distribuição de cestas básicas; o Programa de Aquisição de Alimentos (PAA); Programa de Vendas em Balcão; venda e compra simultânea para atendimento aos programas sociais e doação para atendimento emergencial, programas sociais e de ajuda humanitária.

A ASNAB afirma que momentos como o vivido atualmente, em que o país enfrenta uma crise decorrente do avanço da pandemia do novo coronavírus, exigem uma intervenção do Estado principalmente para atender a camada mais desprotegida da população incapaz de acatar as recomendações sanitárias.

“A manutenção de estoques estratégicos para enfrentar momentos como esse é vital para a economia do país e para atendimento às populações mais vulneráveis em situação de insegurança alimentar”, afirma a carta. “Quando surge problemas que refletem na quantidade de estoques de alimentos em nível nacional, como problemas climáticos, desastres naturais, incidentes globais como é o caso da pandemia do Covid-19, o mercado precisa da intervenção do Estado”.

O documento lembra que há anos colaboradores da Conab vêm alertando sobre os riscos de não priorizar as políticas públicas sociais de abastecimento alimentar que possibilitem o enfrentamento das crises sociais e do mercado econômico nacionais.

“É fato que hoje não existem estoques governamentais de alimentos para contingência em situações de calamidade, tampouco de apoio aos programas sociais que visem minimizar a fome de milhões de brasileiros que vivem abaixo da linha da pobreza”, destaca o documento, que lembra ainda que o abandono de políticas públicas sociais pode vir a causar danos irreparáveis a milhões de cidadãos.

LEIA A CARTA ABERTA À SOCIEDADE

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *